Thinking no background 2
<!--:pt-BR-->A importância das interações multidisciplinares em um projeto<!--:--><!--:en-->The importance of multi-functional team interaction in a project<!--:-->
20Ago

A importância das interações multidisciplinares em um projeto

Gestão

Obter excelência na execução de projetos é atingir o prazo proposto dentro do custo e garantindo a qualidade dos entregáveis. Lugar comum!

 Geralmente os gestores e stakeholders trabalham arduamente para acompanhar tarefas, controlar cronogramas e gerenciar os riscos avaliados. Entretanto, o sucesso um projeto está fundamentado em dois processos gerenciais: gestão de requisitos e balanceamento de recursos críticos.

A robustez nestes processos gerenciais provém do número de interações entre as diferentes áreas envolvidas no projeto e da qualidade das decisões decorrentes destas interações. Esta é a armadilha de muitos líderes de projeto. Quando o prazo e/ou custo do projeto começa a sair do controle, as interações passam a ser menos frequentes e as áreas começam a trabalhar mais isoladamente visando o ganho de produtividade para não entrar no caminho crítico, e, portanto, focando somente seus entregáveis departamentais.

"A perda destas conexões gera ineficiência das interações resultando em retrabalhos durante a execução das atividades e ainda gerando a falta de aderência aos requisitos definidos no escopo do projeto."

Por isso, estimular fortes interações de todas as áreas envolvidas nas fases mais preliminares do projeto desoneram a necessidade de alinhamento e entendimento nas fases de execução e conclusão.

Sendo assim, os gestores de projeto precisam criar sinergia adequada ao objetivo comum entre todos os departamentos envolvidos e promover as interações necessárias para as melhores decisões colegiadas focando especialmente as fases iniciais de projeto.

Tive a oportunidade de aplicar essa metodologia durante a fase de anteprojeto do novo E-Jet E2 recém lançado pela Embraer e os equipamentos de exploração submarina de petróleo nos campos do Pré-Sal dentro da FMC Technologies com resultados expressivos de excelência operacional.

Rodrigo Rosa
Rodrigo Rosa

Engenheiro mecânico formado há 18 anos pela EFEI com MBA em Gestão Empresarial pela FGV e especialização aeronáutica pelo ITA. Trabalhou como gerente executivo nas áreas de Operações, Engenharia e Projetos em empresas globais de alta inovação tecnológica. Sendo responsável pela implementação do Programa de Lean Manufacturing em grandes empresas como Parker Hannifin (1999), Embraer (2007) e FMC Technologies (2012). Rodrigo é consultor associado ao Parque Tecnológico de São José dos Campos para startups de inovação tecnológica e Gerente de Novos Negócios na Supernova Energia, uma empresa especializada em projetos e soluções de eficiência energética.